domingo, 31 de outubro de 2010

Baresi nega problemas com Dagoberto e exalta boa fase do atacante

O técnico Sérgio Baresi sempre adotou a diplomacia para tratar a situação com Dagoberto. Depois de não ser nem relacionado para a partida de estreia do treinador, o jogador foi colocado no banco de reservas no jogo contra o Cruzeiro e deixou claro a insatisfação. Quase um mês depois de não estar mais no comando do São Paulo, Baresi comentou a relação com o atacante e mostrou-se feliz com o bom momento do atleta no time.

Quando ainda treinava o São Paulo, Baresi, por diversas vezes, afirmou que tinha um bom relacionamento com Dagoberto, porém, não era a mesma impressão que o camisa 25 deixava transparecer para a imprensa e os torcedores. Apesar das reclamações, o jogador não conseguiu garantir lugar na equipe. Agora, mais uma vez, mesmo longe do comando, o treinador voltou a explicar a situação.

"Quando cheguei, o Dagoberto estava sendo muito cobrado pela imprensa e pela torcida pela eliminação da Libertadores. O Dagoberto sempre falou em perseguição, mas não foi por mim. Ele entendeu porque não foi relacionado na primeira rodada. Ele estava passando por um momento difícil, pediu até para viajar, e eu liberei. Ele voltou bem, treinou e botei ele no jogo. Conquistou seu espaço, depois caiu de produção e dei oportunidades ao Fernandinho”, explicou Baresi em entrevista a Rádio Transamérica, neste domingo, dia 31 de outubro.

Atualmente, Dagoberto reconquistou o espaço no time e tornou-se um dos titulares absolutos do novo treinador, Paulo César Carpegiani. Baresi não se surpreendeu com a “volta por cima” do camisa 25. “Agora com o Paulo, com jogadores suspensos e machucados, Dagoberto está numa ótima fase e espero que continue bem", finalizou Baresi, que atualmente treina o time da base do São Paulo, como antes de chegar para substituir Ricardo Gomes na equipe principal.

Fonte: Justiça Desportiva

sábado, 30 de outubro de 2010

Veja uma pequena parte da participação de Dagoberto no Jogo Aberto

Dagoberto e Fernandinho fazem tratamento no Tricolor

O elenco do São Paulo realizou um treino na manhã deste sábado, no CT da Barra Funda. A atividade serviu para recuperar os atacantes Dagoberto e Fernandinho, que enfrentam problemas médicos.

O camisa 25 até participou do jogo passado do Tricolor, mas precisou de tratamento  neste sábado, no Reffis, por conta de um trauma no joelho esquerdo. Fernandinho, por sua vez, desfalcou o São Paulo contra o Atlético-PR e também deu atenção especial à recuperação, pois sente dores na panturrilha direita.

A dupla, porém, não deve ser problema para o jogo de quarta-feira, diante do Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro. Ambos devem treinar no gramado já na tarde de segunda, pois o grupo são-paulino terá folga no domingo.

A maior parte do elenco também ficou no Reffis para um treino físico neste sábado, mas outros atletas foram a campo para um teste. Ilsinho, Zé Vitor, Bruno Uvini, Carleto, Lucas, Casemiro e Lucas Gaúcho foram submetidos à avaliação física.

Em recuperação de uma cirurgia na mão esquerda, Jorge Wagner também fez a atividade, mas só deve ser liberado para treinar com o grupo no fim da semana.

Fonte: Gazeta Esportiva

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Carpegiani é fã de Dagoberto desde os tempos de Atlético-PR

Paulo César Carpegiani e Dagoberto poderiam ter se encontrado muito antes no futebol. Hoje no São Paulo, o técnico e o atacante não se cruzaram em 2001 por muito pouco, quando ambos estavam no Atlético-PR - rival desta quinta-feira, às 21h, na Arena Barueri.

Na ocasião, Carpa comandou a equipe paranaense por 16 jogos (11 vitórias, três empates e duas derrotas), enquanto o jogador começava a se destacar no time dos juniores, então com 18 anos.

- Eu vi o Dagoberto no campo e pensei "vou ter que lançar esse menino". Como foi com o Kaká aqui no São Paulo (em 1999). Eu olhava e queria subi-lo. Sou louco para lançar meninos assim. Mas com o Dagoberto não deu tempo - disse o treinador, em entrevista recente.

Segundo Paulo Abade, diretor das categorias de base na época, Dagoberto e o meia Jádson (atualmente no Shakhtar Donetsk-UCR) eram constantemente elogiados por Carpegiani.

- Me recordo dos elogios. Estávamos construindo o CT (do Caju) e tínhamos poucos campos para trabalhar, então o trabalho era muito integrado. Hoje as coisas mudaram, mas na época era difícil colocar júnior no time de cima. Os técnicos chegavam e preferiam a experiência, mas com Carpegiani foi diferente. Ele deu atenção para a base, ia ver jogos dos juniores, valorizava os garotos - destacou, ao LANCENET!.

Naquele ano, o Furacão seria campeão brasileiro sob o comando de Geninho. De acordo com Abade, Dagoberto foi entrando na equipe aos poucos, chegando até a fazer parte do banco de reservas da equipe na final contra o São Caetano. Depois em 2007, sairia brigado do clube paranaense após longa disputa judicial.

- Ele virou um destaque nacional. Acho que comprovou toda a expectativa que tínhamos nele nas categorias de base- elogiou.

Após desfalcar a equipe contra o Ceará por ter ingerido medicamento com substância considerada dopante, o camisa 25 retorna ao time titular justamente contra o Furacão.

Fonte: LanceNet

domingo, 24 de outubro de 2010

"Deve ser a saudade que eles estão de mim."

Essa foi a frase dita pelo Dagol, ao Jogo Aberto após o seu primeiro jogo contra seu ex-clube Atlético-PR no ano passado. Neste mesmo jogo, o atacante foi o centro das atenções, é claro, pelo lado negativo. Foi muito vaiado e hostilizado pela torcida atleticana. Mas, Dagol levou na esportiva e até achou graça da situação. Assista ao vídeo abaixo e veja o que Dagoberto disse:

sábado, 23 de outubro de 2010

Carpegiani acerta posicionamento e fala com Dagoberto antes de viagem

O técnico Paulo César Carpegiani aproveitou a manhã deste sábado para fazer um rápido trabalho de posicionamento de meio-campo e ataque do São Paulo para deixar o time pronto para o jogo deste domingo, às 16h (de Brasília), contra o Ceará, no Castelão, pelo Brasileiro. A preocupação do do treinador é que todos os jogadores ajudem na marcação, já que a formação com quatro homens de frente exige mais atenção do grupo.
Durante a atividade, Dagoberto ficou batendo bola com Bruno Uvini, Carleto, Samuel e Ilsinho. Mas, antes do início do rachão, o atacante conversou com o treinador no centro do campo. Depois do papo, participou da atividade no time de colete. Ele não joga por ter tomado, sem consultar o médico do clube, um remédio para dor de cabeça que contém substância proibida pela Agência Mundial Antidopagem.

O time sem colete, comandado por Rogério Ceni, que jogou na linha, venceu por 4 a 1. O clima era de muitas brincadeiras e descontração. Após o rachão, Dagoberto ainda encontrou fôlego para dar piques no campo, enquanto Ricardo Oliveira, Ceni e Lucas testaram a mira em cobranças de pênalti.

Fonte: Globo Esporte

À boca pequena: Ética 'esconde' remédio de Dagoberto no São Paulo

- A palavra doping é ligada a uma coisa ruim, até porque é uma coisa ruim.

Por esse motivo, José Sanchez, médico do São Paulo, prefere não revelar o nome do analségico tomado pelo atacante Dagoberto na terça-feira e que contém substância considerada dopante. Por ética médica, ele não dejesa que o público em geral associe o medicamente com o doping.

- É um bom medicamento. Eu mesmo uso sempre que preciso. O problema é que eu posso. Dagoberto, não - disse.

Durante a semana, ele procurou laboratórios que pudessem fazer exames no jogador, para diagnosticar se a substância ainda estaria presente em seu corpo no domingo, às 16h (horário de Brasília), quando o Sampa visita o Ceará no Castelão. Sem resultados, a decisão foi por não levar o jogador para a partida.

- Serve como um exemplo para todo mundo - finalizou o médico.

Fonte: LanceNet

Médico confirma: Dagoberto está mesmo fora do jogo contra o Ceará

Afastado do time do São Paulo na última sexta-feira, por causa de um remédio para dor de cabeça, Dagoberto está mesmo fora do jogo  contra o Ceará, neste domingo, às 16h (de Brasília), no Castelão, pelo Brasileiro. O atacante se medicou na última terça, por conta de um quadro de gripe, e o medicamento continha substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada). Como o prazo médio de eliminação do componente pelo corpo é de cerca de cinco dias, o departamento médico preferiu não arriscar a escalação do jogador, que ficará fora deste duelo em Fortaleza.

- Ele está fora mesmo, por precaução. Até procuramos laboratórios que fizessem o exame, mas o prazo não era suficiente. Como é algo bem simples, um remédio para dor de cabeça, basta esta medida. Colocar o atleta em campo poderia trazer um problema desnecessário para ele e para o clube, que estaria sujeito até a multas e perdas de pontos - explicou o médico tricolor, José Sanchez, na manhã deste sábado, no CT da Barra Funda.

Enquanto o técnico Paulo César Carpegiani trabalhou posicionamento de meio e ataque com o grupo que viaja para Fortaleza, Dagoberto bateu bola com Samuel, Carleto, Ilsinho e Bruno Uvini em outro canto do gramado. O camisa 25, no entanto, não terá problemas para enfrentar o Atlético-PR, na próxima quinta-feira, na Arena Barueri, pois a substância já terá sido eliminada pelo seu corpo.

Fonte: Globo Esporte

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Carpegiani ainda espera contar com Dagoberto, mas só se tiver garantias

O técnico Paulo César Carpegiani lamentou o afastamento de Dagoberto do time do São Paulo para o jogo deste domingo, contra o Ceará, no Castelão, pelo Brasileiro. O atacante tomou um remédio para dor de cabeça, por conta de uma gripe, e o medicamento contém uma substância proibida pela Wada (Agência Mundial Antidoping). Apesar de José Sanchez, médico do clube, estar receoso de colocar o jogador em campo, o treinador ainda tem esperança de contar com o atleta.

- Isso acontece seguidamente por falta de atenção ou descuido. O jogador acaba tomando o medicamento e se prejudicando. Tive uma conversa com ele há dois dias. Agora é caso do departamento médico, não me envolvo. Se desde terça o atleta sua, corre, pode ser que já tenha eliminado a substância. Mas temos que ter a segurança disso. Treinei com o Fernandão e também testei o Marlos. Gostaria de contar com o Dagoberto, mas só com a convicção de que ele pode jogar - ressaltou o comandante, revelando que o atleta tomou o remédio na terça-feira.

Como o prazo médio para a eliminação da substância do corpo é de cinco dias, domingo seria o fim deste período. Por estar no limite, o departamento médico está preocupado em escalar o jogador e ter problemas posteriores. Apesar do problema, Carpegiani elogiou o momento de Dagoberto em campo e já adiantou que, se não enfrentar o Ceará, o atleta deverá voltar ao time contra o Atlético-PR, na próxima quinta-feira, na Arena Barueri.

- Futebol é feito de momentos, e cada avaliação passa a ser individual. Quando cheguei tive muita dificuldade de formar o time. Mas ele respondeu, e você trata de seguir com a mesma equipe pela sequência de jogos. Nada mais justo da minha parte manter os atacantes. E se o Dagoberto não atuar agora pode retornar contra o Atlético-PR porque vive um bom momento. Houve esse descuido, e o simples fato de ele talvez não jogar já é um castigo grande.

Carpegiani confessou que não gostaria de ter que mudar o time neste momento, principalmente porque o ataque com Dagoberto e Ricardo Oliveira estava bem entrosado com as chegadas de Lucas e Fernandinho pelas laterais. O treinador explicou que Fernandão está ainda abaixo do esperado fisicamente e, se jogar, será substituído por Marlos durante a partida.

- É uma necessidade. Optei pelo Fernandão porque joga ali, mas tem uma característica diferente e está sentindo um pouco os treinos. Fez o esforço hoje, mas fatalmente não jogará 90 minutos. Tenho o Marlos também e vou usar os dois se o Dago não jogar - completou Carpegiani.

Fonte: Globo Esporte

Remédio com substância proibida afasta Dagoberto do jogo de domingo

Nesta sexta-feira, o São Paulo ganhou um problema sério para o jogo contra o Ceará, neste domingo, no Castelão, pelo Brasileiro. Dagoberto tomou um remédio para dor de cabeça, cujo nome não foi revelado pelo departamento médico, que contém substância proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada). O atacante estava gripado na última terça-feira, quando não treinou como grupo e provavelmente se medicou, apesar de o médico não confirmar a data exata. E como o prazo médio de eliminação de um medicamento pelo corpo é de cerca de cinco dias, seria imprudente colocar o atleta em campo neste domingo.

- O Dagoberto nos comunicou do medicamento, até porque achou que não tinha problema, e por isso é bastante razoável que ele não jogue, até por precaução. Não entro no mérito da substância porque não é ético divulgar, mas muita gente usa e não há problemas, só atletas é que não podem usar. Foi um descuido, eles são bem orientados sobre isso, mas é aquela coisa: está em casa, não quer incomodar, se sente mal e alguém indica: toma isso - explicou José Sanchez, médico do Tricolor.

Dagoberto treinou separado do grupo, acompanhado apenas do preparador físico Sérgio Rocha. No campo maior, Paulo César Carpegiani comandou um coletivo com Fernandão na vaga do atacante. Sanchez admitiu que é um caso bastante complicado, principalmente porque afasta do time um jogador que está em boa fase no Tricolor.

- Eu não tenho ninguém para consultar, tenho que me virar. Difícil, estamos lidando com uma coisa muito importante. De repente você está com uma grande convicção de que não tem problema ele jogar, mas tem. Quem não quer o Dago no time? Está sendo um grande problema para mim, o Paulo também teve que treinar sem ele e buscar alternativas. Ele (Dagoberto) está no limite do prazo mesmo. Mas não sei se vale a pena correr o risco - acrescentou o médico.

Fonte: Globo Esportes

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Dagoberto: 'A cobrança foi diferente comigo'

Com a chegada de Paulo César Carpegiani, Dagoberto voltou a ser titular no São Paulo. O técnico nunca cogitou deixá-lo no banco de reservas. Resultado: em duas partidas (estava suspenso no segundo jogo do técnico, contra o Prudente), três gols marcados.
Dagol recuperou o bom futebol, tem sido decisivo e, quando questionado, afirma que voltou a viver um bom momento. Como neste bate-bola exclusivo com o LANCENET!. Confira abaixo:

LANCENET!: De qual maneira Carpegiani tem ajudado você no clube?
DAGOBERTO: É um cara que está me ajudando muito, até pelo que vinha acontecendo antes. Ele passou a confiança que tem em mim e tudo com muita credibilidade. Tomara que possa continuar nessa toada. Está bom, com o momento favorável.

LANCENET!: Acha normal ter passado por má fase e ser tachado como culpado pela saída da Liberta?
DAGOBERTO: Às vezes busco uma resposta. Talvez tenha uma cobrança em cima de você para que o resultado aconteça. Aí, quando não vem, acontece uma cobrança diferente, com outro peso. É difícil, mas isso não me afeta. Tenho de dar resposta para quem gosta de mim, quem está do meu lado. Meus pais, minha esposa, minha filha, a Deus acima de tudo. Para eles dou atenção.

LANCENET!: A cobrança acontece pelo seu potencial como jogador?
DAGOBERTO: Pode ser na cabeça das pessoas, mas futebol é um esporte coletivo. Quando o São Paulo ganhou (Brasileiro) em 2006, 2007 e 2008, o crédito foi para todos. Quando se tem sucesso, o crédito é distribuído. Isso que pesou e me deixou triste na época. A cobrança foi diferente comigo por não dar dado certo (Libertadores). Se estou no São Paulo e sou o que sou, tenho méritos. É um esporte coletivo, então cada um tem de ter sua porcentagem, não só Dagoberto.

LANCENET!: Foi também um momento ruim na vida pessoal?
DAGOBERTO: Saia daqui e esquecia, mas chateia. Consegui distribuir, porque uma hora iria passar. Não queria sair do São Paulo como quiseram me mandar, pela porta dos fundos. Fiquei muito tempo sem jogar (pelo Atlético-PR) para vir para o São Paulo. Era um sentimento que carregava de querer jogar pelo clube. Não seria uma, duas pessoas que iriam tirar isso de mim.

LANCENET!: Quando fala em pessoas, a quem se realmente se refere?
DAGOBERTO: Todo mundo sabe, todos sabem. Mas não é algo que me tira o sono. Se querem me prejudicar, tenho de dar resposta para quem depende e torce por mim, não eles. Quem planta o mal, o mal vem na sua vida. Sempre procurei coisas boas. Se deseja o mal, problema da pessoa.

LANCENET!: Falou em sair pelos fundos. No fim do ano, se ficar ou sair, será pela porta da frente?
DAGOBERTO: Tenho certeza. Hoje estou pensando em mim também. Você aprende a saber com quem contar. No início do ano, teve uma proposta muito boa (do Bayern de Munique, da Alemanha) e não aceitaram. Depois, no meio do ano, veio outra (do Metalist, da Ucrânia), que na minha visão era baixa e já queriam me vender. Alguma coisa estava errada. Se for para sair, será bom para o São Paulo e para Dagoberto. Estou feliz, isso que é importante, independentemente do que aconteça. Guardo coisas boas que passei aqui, mas a vida não é só de sucesso.

Fonte: LanceNet

Segredo de Dagoberto é cabeça no lugar

Após a eliminação na Copa Libertadores para o Internacional, Dagoberto viveu seu pior momento em pouco mais de três anos de São Paulo. Tachado internamente como um dos maiores culpados pelo fracasso na competição, foi para o banco de reservas e quase acabou no Metalist (UCR). Com a chegada de Carpegiani, muita coisa mudou para o jogador, que ganhou moral.

O atacante, como ele mesmo revelou em entrevista exclusiva ao LANCENET!, está literalmente usando a cabeça para mudar. Em campo, dos 15 gols que anotou, cinco foram pelo alto. Um recorde pessoal, já que, até então, só tinha balançado redes assim uma vez em 2007 e outra em 2008. A postura também está diferente. Dagoberto refletiu sobre tudo que aconteceu. Aprendeu com os julgamentos que recebeu e com os erros que cometeu:

– Vi que no futebol competitivo você tem de treinar muito e aprimorar. Procurei trabalhar a perna esquerda, que melhorou. Procuro fazer o treino de finalização com qualidade, e não em quantidade, como antes. Tenho me cobrado. É algo inédito (muitos gols de cabeça), até por não ser grande (1,75m). É o treino e, literalmente, estou usando mais a cabeça (risos).

Fora de campo, o atacante foi muito cobrado recentemente. Mesmo assim, não desanimou. Desde a chegada de Carpegiani, são três gols em três confrontos. Frente ao Santos, em duas oportunidades, fez de cabeça (veja lista completa ao lado). Artilheiro do time com 15 na temporada, Dagoberto ainda quer mais. O objetivo agora é atingir uma meta pessoal, traçada no início do ano, e que ele revelou na tarde de ontem, no CT da Barra Funda. Ele ainda quer mais cinco gols nos últimos oito jogos que restam pelo Brasileirão, totalizando, assim, 20 nesta temporada.

– É uma meta. Quando se tem, tem de ir atrás. Vou buscar e talvez passar. Mas o São Paulo vencendo é o que importa, prefiro deixar as metas pessoais em segundo plano.

Dagol parece não ligar mais para as críticas que recebeu. Ao invés de dar bola para o que ouviu e sentiu, prefere mostrar sua importância em campo. E usando a cabeça.

GOLS DE CABEÇA DE DAGOL

São Paulo 3x0 Nacional (PAR)
18/3/2010 Na fase de grupos da Libertadores, Dagoberto marcou, de cabeça, um dos gols da goleada sobre o Nacional, no Morumbi. Em 2009 ele havia passado em branco.

São Paulo 3x2 Santos
11/4/2010 Na derrota na primeira semifinal do Paulistão, Dagoberto anotou um dos gols do São Paulo. Ele fez de cabeça, assim como Durval, que marcou o terceiro do rival já nos acréscimos.

São Paulo 2x1 Atlético-GO
2/9/2010 Do banco de reservas, Dagoberto entrou no jogo, fez gol, e garantiu a vitória do Tricolor.

São Paulo 4x3 Santos
17/10 Pela primeira vez, Dagoberto fez dois gols de cabeça em uma única partida. Foram duas assistências de Ricardo Oliveira.

Fonte: LanceNet

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Dagoberto, gripado, fica fora de treino do São Paulo em Cotia

Nesta terça-feira, Paulo César Carpegiani comandou o treino do São Paulo no CT de Cotia, destinado às categorias de base do clube. Na atividade, o treinador não contou com o atacante Dagoberto.

Destaque na vitória por 4 a 3 sobre o Santos ao fazer dois gols no clássico disputado no domingo, Dagoberto não foi para Cotia. Gripado, o atacante ficou no Reffis, assim como o meia Sérgio Mota.

Carpegiani realizou um treino tático e está com dúvidas para escalar a equipe para o jogo contra o Ceará, neste domingo, fora de casa. O treinador não contará com Richarlyson, Jean e Alex Silva, todos suspensos.

“Gosto de definir meu esquema com antecedência. Tenho algumas opções. Sou do tipo de pessoa que não gosta de levar três gols”, afirmou Carpegiani, que pretende reforçar o sistema defensivo da equipe.

O lateral-esquerdo Diogo, que entrou durante a partida contra o Santos, deve ser escalado na lateral-esquerda. Na zaga, o técnico tem algumas alternativas. Ele estuda se coloca Renato Silva na lateral-direita (com a zaga formada por Miranda e Xandão) ou no miolo da defesa, ao lado de Miranda (com Ilsinho na direita).

Fonte: Uol Esportes

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Feliz, Dagoberto ironiza os críticos: 'Já voltaram a dar tapinhas nas costas'

O mundo do futebol dá muitas voltas. Criticado pela torcida e crucificado por parte da diretoria do São Paulo após a eliminação da equipe na Taça Libertadores da América, Dagoberto não via futuro no clube do Morumbi. Sérgio Baresi assumiu interinamente a vaga que era de Ricardo Gomes e o camisa 25 passou a ser a quarta opção do ataque, atrás de Ricardo Oliveira, Fernandão e Fernandinho. Na última semana da janela de transferências, em agosto, o clube recebeu uma proposta do Metalist (UCR), aceitou vender o atleta, que não quis ir, causando ainda mais descontentamento dentro do clube.

Porém, o time seguiu mal no Campeonato Brasileiro, Sérgio Baresi voltou para Cotia e a diretoria contratou Paulo César Carpegiani, que conhecia Dagoberto desde a época em que  era um promissor atacante no Atlético-PR. E, como num passe de mágica, tudo mudou. Dagoberto virou titular, voltou a fazer gols e se tornou uma referência. Com os dois tentos marcados contra o Santos, no último domingo, se tornou o artilheiro da equipe na temporada, com 15 gols.

De bem com a vida, o jogador conversou com a reportagem do GLOBOESPORTE.COM nesta segunda-feira e falou sobre diversos assuntos. Com personalidade, disse que as mesmas pessoas que o criticavam já voltaram a elogiá-lo e que, com Carpegiani, a torcida pode acreditar que o time brigará até o fim pela vaga na Taça Libertadores da América de 2011.


GLOBOESPORTE.COM - O futebol realmente é engraçado. Em um mês, você passou de problema para ser a solução. Como foi encarar isso? Você já havia vivido situação semelhante?
Dagoberto - Nunca. Foi a primeira vez. O momento hoje é bom demais, até por tudo que aconteceu comigo. O importante é você sempre tirar uma lição e aprender. O futebol é assim mesmo. Quando você não ganha, alguém precisa ser crucificado. E fizeram isso injustamente comigo. Mas eu fiquei calado e segui trabalhando porque sabia que uma hora as coisas iriam mudar. Esse episódio foi importante para ver quem dá tapinha nas tuas costas e é teu companheiro e quem faz o mesmo e não é.

E essas pessoas que te criticaram já voltaram a te dar tapinha nas costas?
Dagoberto - Não tenha a menor dúvida. Elas mesmo voltaram. Mas não tenho rancor. Já sou atleta profissional há dez anos e sei que o mundo do futebol é muito cínico. Todo mundo sabe que o que vale, o que gira no futebol é o dinheiro. Só posso dizer que estou feliz. Tenho mais um ano e meio de contrato com o São Paulo e é bola para frente, quero pensar apenas nas coisas boas.

A fase é tão boa que você marcou contra o Santos dois gols de cabeça. Não me recordo que isso já tenha acontecido.
Dagoberto - Foi inédito. Mostra o quanto as coisas estão dando certo. Eu trabalhei para que isso acontecesse. O Ricardo Oliveira me deu dois belos passes e pude marcar. Mas, o mais importante de tudo é que o time está unido e crescendo.

Por que você cresceu tanto com o Carpegiani? O que ele fez de tão diferente?
Dagoberto - Ele não fez nada de diferente. Só que é inteligente. Quando chegou, conversou com todo o grupo numa sala. Quando o papo acabou, me chamou para uma conversa particular e perguntou se eu estava motivado. Respondi que sim, mas que precisava voltar a jogar porque não entendia o que estava acontecendo. Ele passou confiança, que é o mínimo que um técnico deve saber fazer. Quando o treinador tem o grupo nas mãos, isso é fácil de fazer. Hoje estamos todos juntos no São Paulo. O Carpegiani conversa com todos. Se ele te coloca no banco, explica a razão e você que corra atrás do espaço. Antes isso não acontecia.

Você acha que perdeu espaço com o Sérgio Baresi por ideias do treinador ou por ordens superiores?
Dagoberto - Não vou ser hipócrita. Todos sabem que existe uma hierarquia. Eu fiquei quieto porque tudo iria mudar uma hora.

Quem te ajudou nessa hora?
Dagoberto - Meus empresários (Marcos e Naor Malaquias), minha mulher (Thaysa) e minha filha (Thainá). Além de Deus, é claro. Apesar de toda turbulência que eu passei, nunca perdi a calma. Se fosse antigamente, pode ter certeza de que teria feito algo pior, isso não teria ficado barato. Hoje sou uma nova pessoa e tenho certeza que o momento atual está servindo para que muitas pessoas possam mudar a imagem negativa que têm de mim.

Por que você não quis ir para a Ucrânia? Afinal, com os 25% que possui do passe, poderia fazer sua independência financeira.
Dagoberto - Não fui pela maneira que as coisas foram conduzidas. Antes de acertar com o São Paulo, só eu sei o que eu passei para sair do Atlético-PR e vir para cá. Por isso, não achei justo sair pela porta dos fundos, como queriam que eu fizesse. Conversei com minha família e resolvi ficar. Eu amo jogar futebol e gosto demais do São Paulo. Hoje vejo que tomei a decisão correta. Se hoje sou o artilheiro do time na temporada, com 15 gols, é porque faço algo de bom.

Na época em que o time foi dirigido pelo Baresi, o Tricolor conseguiu a trinca de vitórias por duas vezes. E, na hora de embalar de vez, a equipe perdeu. O que faz vocês acreditarem que, desta vez, será diferente? O time realmente pode brigar por uma vaga na Libertadores?
Dagoberto - Sem dúvida. É só olhar a maneira como o time está se comportando. Tenho certeza de que o torcedor do São Paulo teve um domingo maravilhoso porque viu um time jogando muito e com vontade e alegria. Antes, não estávamos convencendo. Foram vitórias ilusórias. A próxima rodada poderá ser muito boa para nós porque ocorrerão alguns cruzamentos diretos. Mas não podemos mudar o nosso foco. Temos de pensar jogo a jogo e, lá na frente, veremos o que vai acontecer.

Fonte: Globo Esporte

Craque da rodada, Dagoberto celebra volta por cima

Autor de dois gols contra o Santos, no domingo (17), e peça fundamental na vitória do São Paulo por 4 a 3 no clássico, o atacante Dagoberto vive uma fase que até poucas semanas era um sonho muito distante. Encostado no Tricolor paulista, o jogador só não foi negociado por ter batido o pé e dito que queria ficar no clube. Com a chegada de um novo treinador à equipe, o atacante reencontrou o bom futebol e foi escolhido pelo R7 o Dono da Bola da rodada.

Com os dois tentos que anotou no domingo (17) – poderia ter feito mais um não fosse o santista Pará chutar contra o próprio gol quando o são-paulino estava pronto para disparar -, Dagoberto se tornou o artilheiro do São Paulo na temporada: são 15 gols. Com os dois tentos marcados contra o Santos, Dagoberto ultrapassou Washington, que já deixou o São Paulo, mas que marcou 13 vezes pelo clube em 2010.

O craque da 30ª rodada do Campeonato Brasileiro contou que foi após uma conversa com Paulo César Carpegiani que encontrou motivação para voltar a jogar bem.

- No dia em que o Paulo chegou, tivemos a apresentação e, quando todos saíram da sala, ele falou que queria conversar comigo. Ele perguntou se eu estava motivado e todos já sabem a resposta que dei. Ele me deu confiança e fiquei feliz.

O treinador do São Paulo conhece Dagoberto há quase dez anos. Conta que desde 2001, quando trabalhou no Atlético-PR, já olhava com carinho para o atacante.

- Em 2001, eu estava no Atlético-PR e formei a equipe que depois foi campeã, mas o Dagoberto era dos juniores, treinava no campo separado com os garotos e eu pensava que tinha que lançá-lo no time, mas não tive tempo porque acabei saindo. Ele é um jogador habilidoso, rápido e diferenciado, que desequilibra. Tive uma conversa com ele e falei que sei o que pode produzir aqui.

A boa fase do camisa 25 no São Paulo se deve à chegada de Carpegiani, não apenas pelo técnico ter confiado em seu futebol. Com o novo treinador, o Tricolor paulista tem jogado mais ofensivamente. No clássico, por exemplo, o time tinha Ricardo Oliveira, Fernandinho e Dagoberto na frente, além de Lucas como meia. O resultado é um time que tem marcado muitos gols.

Fonte: R7

Após "flerte" em 2001, Dagoberto revela conversa com Carpegiani para renascer

Paulo César Carpegiani é apontado como o responsável pelo ressurgimento de Dagoberto no São Paulo. Em duas partidas com o treinador, o camisa 25 anotou três gols e virou o principal nome da equipe tricolor.

Uma conversa particular no dia 4 de outubro motivou o atacante a recuperar seu futebol.

“No dia que o Paulo chegou, tivemos a apresentação dele, com todos na sala. Quando saímos ele disse que queria conversar comigo. Perguntou se eu estava motivado, e vocês já sabem a minha resposta. Foi com ele que voltei a ter confiança, porque sou um jogador que ele conhece”, revelou o destaque no heroico triunfo por 4 a 3 sobre o Santos, no último domingo.

O primeiro contato entre Dagoberto e o técnico é antigo. Ocorreu em 2001, quando Carpegiani dirigia o Atlético-PR e o jovem atuava nas categorias de base do clube rubro-negro. Entretanto, foi apenas um flerte.

“Eu vi o Dagoberto no campo e pensei ‘vou ter que lançar esse menino’. Como foi com o Kaká aqui no São Paulo [em 1999]. Ele era juvenil e jogava no nosso CT. Eu olhava e queria subi-lo. Sou louco para lançar meninos assim. Mas com o Dagoberto não deu tempo. Ele era ponta de lança na época, vinha de trás, e aqui se caracterizou como atacante”, comentou o comandante são-paulino.

O atleta de 27 anos virou o bode expiatório pela eliminação na Copa Libertadores, em agosto. Acabou afastado do time pelo ex-interino Sérgio Baresi e dirigentes o queriam longe do Morumbi. Mas Carpegiani resolveu apostar no atacante.

“Ele tem habilidade, pensa rápido e desequilibra. Quando tenho um jogador assim do meu lado, fico satisfeito. Conversei com ele, sei que pode produzir e vou esperar. E ele está correspondendo”, observou.

O desafio de Dagoberto agora é manter uma regularidade. Desde que chegou ao São Paulo, em 2007, sofreu com altos e baixos e ainda é alvo de desconfiança por parte de torcedores e cartolas.

Fonte: Uol Esportes 

domingo, 17 de outubro de 2010

Dagoberto: 'Resultado teve um sabor especial'

A boa forma de Dagoberto parece ter voltado. O atacante, que recuperou a posição de titular com a chegada de Capegiani, foi a grande estrela do clássico contra o Santos, marcando dois gols.

Em entrevista após o San-São, Dagoberto comentou a vitória tricolor e ressaltou a importância de vencer o rival, que vinha numa sequência de vitórias.

- O resultado tem um sabor especial pela forma que a equipe se portou. Fizemos um bom jogo, nos portamos bem mesmo com um a menos. O Santos vinha numa crescente, não perdia faz tempo - afirmou o atacante.

O são-paulino também destacou a postura ofensiva adotada por Carpegiani na partida desse domingo.

- Facilita ter mais gente no ataque. Onde tem qualidade fica mais fácil de se jogar - opinou.

Dagol também elogiou a boa atuação de Ricardo Oliveira e dos outros jogadores do Tricolor.

- O Ricardo é muito rápido, inteligente e já conquistou títulos. É um exemplo e está passando isso para dentro de campo. A equipe está muito centrada, conciente e isso dá resultados na frente, como já aconteceu - finalizou Dagoberto.

Fonte: LanceNet

Dagoberto celebra boa fase no São Paulo

Grande nome da vitória do São Paulo sobre o Santos por 4 a 3, o atacante Dagoberto afirmou que passa por um ótimo momento e que recuperou a alegria de jogar. Autor de dois gols no San-são ele gostou da atuação da equipe e que classificou como difícil a vitória sobre o Peixe.

- Foi um dia muito especial e estivemos bem. A vitória tem um sabor grande pela forma como a equipe se portou. Fico feliz pela tarde inspirada e com os gols. Agora é aproveitar as chances para continuar vencendo e também marcando - disse o camisa 25.

Sobre o técnico Paulo César Carpegiani, Dagoberto foi só elogios.

- Quando ele chegou, tivemos a apresentação e ele queria falar comigo. Perguntou se estava motivado e vocês já sabem a resposta. Aí foi com ele, pela confiança - revela o atacante que não vinha sendo aproveitado pelo ex-técnico da equipe Sérgio Baresi.

Dagoberto também aproveitou para elogiar seu parceiro de ataque, Ricardo Oliveira. Ele afirmou que aos poucos a dupla vai se entrosando e marcando gols para o Tricolor.

- Ele é muito rápido, inteligente e conquistou títulos. É um exemplo e está passando experiência para dentro de campo. A equipe está muito centrada, consciente e dá resultado na frente - finaliza.

Fonte: LanceNet

Dagoberto faz dois e se consolida na artilharia

O atacante Dagoberto comprovou sua ótima fase no São Paulo desde a chegada do Paulo César Carpegiani. No clássico deste domingo à noite contra o Santos, o camisa 25 são-paulino marcou dois gols e participou diretamente do terceiro na vitória do Tricolor por 4 a 3. 
Com a dobradinha neste domingo, Dagoberto se consolidou de vez como o principal artilheiro do time na temporada. Ao todo, são 15 gols do atacante. No Campeonato Brasileiro, o jogador já marcou seis gols e empatou com Ricardo Oliveira. Fernandão, com oito, é o goleador máximo do time no Brasileirão.
"Os gols estão saindo. O importante é que a equipe está conseguindo jogar. Com isso, vem os gols e boas atuações. Estou feliz com este momento. O Paulo (Carpegiani) está passando uma filosofia legal e todo mundo está muito bem", disse Dagoberto.
Na Era Carpegiani, Dagoberto e Ricardo Oliveira são os artilheiros do time. Na estreia do treinador, Dagol, como é chamado pela torcida são-paulina, marcou um no triunfo sobre o Vitória por 2 a 0. Já contra o Prudente, Ricardo marcou os três na vitória por 3 a 2, fora de casa.

Dagoberto brilha no clássico, vira artilheiro do São Paulo e elogia Carpegiani

Com os dois gols marcados na vitória por 4 a 3 sobre o Santos, neste domingo, o atacante Dagoberto se tornou o artilheiro da equipe nesta temporada. Somando 15 gols em 44 jogos, o camisa 25 tricolor superou Washington, que já se transferiu para o Fluminense, e balançou as redes 13 vezes pelo clube, além de Hernanes, que antes de acertar com a Lazio já havia marcado 10 gols.

O status de artilheiro na temporada coincide com o bom momento atravessado por Dagoberto. Sempre encarado com ressalvas por Ricardo Gomes e, posteriormente, por Sérgio Baresi, o atacante agora é titular absoluto com Paulo Cesar Carpegiani e não economiza nos elogios para destacar o novo comandante tricolor.

“Eu não estava jogando, então era difícil. Não tinha uma sequência de jogos, mas o Paulo chegou e passou muita confiança. Ele é um cara que entende muito de futebol, pegou os jogadores e agora está implantando um método bacana de trabalho”, analisou Dagoberto, que aproveitou para criticar indiretamente os antecessores de Carpegiani.

“[O trabalho de Carpegiani] podia ter começado antes. Se isso tivesse acontecido, estaríamos ainda melhor na competição”, disse o camisa 25 tricolor, que no Campeonato Brasileiro já marcou sete vezes.

Assim como seus companheiros de time, o atacante do São Paulo também destacou que, com a vitória no clássico contra o Santos, a equipe ganha força e pode embalar nas últimos oito rodadas do Brasileiro.

“O Santos é um time que encanta muita gente, pois joga ofensivamente, com alegria, mas sem deixar de marcar. O Paulo [Carpegiani] está passando isso e a nossa equipe está sendo inteligente por conseguir mostrar isso. Não adianta ele querer e a gente não fazer. Mostramos que o São Paulo está firme e forte na competição”, completou o artilheiro do São Paulo.

Na próxima rodada, a equipe tricolor viaja a Fortaleza quando irá encarar o Ceará, neste domingo, às 16h, no estádio Castelão.

Fonte: Uol Esportes

sábado, 16 de outubro de 2010

Dagoberto tem novo trunfo para garantir a vitória do São Paulo

Depois de cinco anos com a Nike, Dagoberto vai mudar de chuteira. O atacante, contra o Santos, vai estrear um novo modelo, agora com a Adidas, sua nova fornecedora de material esportivo para os próximos dois anos.


Desde que chegou ao Sampa, Dagol sempre esteve com a mesma marca. Com ela, anotou 37 gols em 180 partidas. Com a Adidas, o jogador também vai receber camisetas, shorts, entre outros materiais esportivos.

Titular absoluto com Carpegiani, no treino deste sábado, o camisa 25 já testou o novo modelo, o mesmo que vai calçar diante do Santos, neste domingo, no Morumbi, às 18h30.

Esta semana, como revelou o LANCENET!, Rogério Ceni também mudou de fornecedor esportivo de luvas. Ele agora vai trabalhar com a Poker. As chuteiras também não são mais da Pênalti, mas da Reebok.

Fonte: LanceNet

"Carpegiani gosta do bom futebol", elogia Dagoberto

O poder ofensivo do Santos não intimida o técnico do São Paulo. Apesar de o time alvinegro ter se notabilizado nesta temporada por seu ataque perigoso, Paulo César Carpegiani nem cogita armar uma retranca no São Paulo e prepara sua equipe para ir ao ataque no clássico deste domingo (17), às 18h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi.

Um dos atacantes escalados para o duelo, Dagoberto não vê a estratégia do chefe como um problema e elogia a vontade do técnico em buscar a frente sem desguarnecer a defesa.

- É a característica de cada um. O Carpegiani gosta do bom futebol e do time ofensivo com inteligência, organização e compactação. Pode parecer bastante ofensivo no papel, mas é um time que está bem ciente do que tem que fazer.

Além de Dagoberto, o ataque tricolor contará ainda com Ricardo Oliveira e terá a ajuda de Fernandinho e Lucas. A expectativa do treinador é que os homens de frente colaborem na marcação aos jogadores do Santos.

- Pela situação atual, os dois clubes vão buscar o gol em todo momento. Mas não podemos atacar e defender de qualquer jeito, temos que saber fazer as duas coisas. Quem conseguir equilibrar vai se sobressair.

Com 41 pontos no Brasileirão, no décimo lugar, o São Paulo precisa do triunfo para se aproximar do objetivo de se classificar para a próxima Copa Libertadores da América.


Fonte: R7

Como Dagoberto virou fundamental ao São Paulo. E Fernandão, mero reserva…


Como Paulo César Carpegiani salvou a carreira de Dagoberto no São Paulo?
E reservou um belo lugar no banco de reservas para o líder Fernandão.
A receita é mais simples do que possa parecer.
O treinador é um grande admirador do futebol de Dagoberto.
Mas do meia atacante rompedor dos primeiros tempos do Atlético Paranense.
Não do jogador preso na esquerda ou na direita, dependendo do treinador, e ainda com a obrigação de marcar.
Ele o chamou para uma conversa clara, objetiva.
Carpegiani disse que o considera um dos jogadores mais inteligentes taticamente do futebol brasileiro.
Atuando do meio para a frente.
E perguntou o que estava acontecendo no São Paulo.
Dagoberto ficou surpreso com o questionamento, tão favorável.
Ele tinha certeza que dirigentes do clube, principalmente Leco, haviam decidido por sua saída do clube.
E era apenas uma questão de tempo.
Com o final do Brasileiro e a nova abertura da janela internacional, ele seria obrigado a ir jogar em algum clube do Leste Europeu.
As ofertas foram constantes nas últimas três janelas.
Se dependesse só do São Paulo, ele teria saído nas duas últimas.
Mas Carpegiani garantiu que se Dagoberto jogar com a liberdade que precisa será útil demais ao clube.
Isso deu uma revigorada inesperada no meia atacante.
Ele já se via fora do São Paulo.
Por outro lado, o estilo de Fernandão realmente não agrada Carpegiani.
O vê como lento para as duas funções que pode exercer.
Como atacante de definição, do cabeceio.
E principalmente como meia armador, posição que o treinador não cogita escalá-lo.
O grande problema é que além do seu indiscutível potencial, Fernandão é um dos líderes do time.
Jogador que é adorado por Juvenal Juvêncio, que o convenceu pessoalmente a criar um clima ruim no Goiás para defender o São Paulo.
Mas Carpegiani não pode fazer nada.
Nem cogita tirar Ricardo Oliveira do time titular.
A situação reverteu completamente pelos lados do Morumbi.
O questionável Dagoberto é agora titular absoluto.
E o consagrado Fernandão se transformou em mero reserva.
Será assim contra o Santos no fundamental clássico de amanhã.
Quem diria...
(E para irritar a torcida do Atlético Paranaense, Carpegiani indicou sim, Branquinho como possível novo reforço para 2011...)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Dagoberto, atacante do São Paulo, volta de suspensão e é novidade contra o Santos

Veja o vídeo da entrevista de Dagoberto ao Globo Esporte:

video

Dagoberto: 'Todo mundo está de olho no São Paulo'

As duas vitórias consecutivas com a chegada do técnico Paulo César Carpegiani elevaram a confiança dos jogadores do São Paulo. Para o atacante Dagoberto, que subiu de produção com o novo comandante, o São Paulo deixou de ser coadjuvante no Brasileirão para ser visto como adversário direto na luta por uma vaga na Libertadores.

O camisa 25 usou como argumento o respeito que os clubes têm pelo Sampa, principalmente pelo recente tricampeonato brasileiro, do qual ele fez parte em 2007 e 2008.

- O respeito que adquirimos é pelo que você faz nos campeonatos, nos jogos. Ano passado, chegamos a mais uma Libertadores e quase fomos campeão novamente. O São Paulo é muito respeito e tenho certeza de que todo mundo está de olho novamente - disse o atacante.

Atualmente, o Tricolor está a oito pontos do Corinthians, terceiro colocado e último da fila por uma vaga na Libertadores. No próximo domingo, a equipe enfrenta o Santos, no Morumbi, às 18h30, tentando emplacar, pela segunda vez neste Brasileirão, a sequência de três vitórias consecutivas.

Fonte: LanceNet

De excluído a solução, Dagoberto questiona opção de Baresi e celebra volta

Bode expiatório após a eliminação do São Paulo na Copa Libertadores, Dagoberto teve pouco espaço com o ex-técnico interino Sérgio Baresi. Com a chegada de Paulo César Carpegiani, recuperou a titularidade, marcou um gol contra o Vitória, na semana passada, e voltou a sorrir.

Elogiado pelo novo treinador, que o considera um atleta diferenciado no elenco, o camisa 25 lamentou o tempo que ficou fora da equipe. Procurou ser sutil nas palavras, mas questionou a opção de Baresi de deixá-lo na reserva. "É difícil comentar assuntos do técnico anterior. Ele é um cara gente boa, tinha uma filosofia de trabalho e eu respeito, mas muitas vezes você acaba não concordando", comentou o atacante, após treino na manhã desta quinta-feira, no CT da Barra Funda.

"O Paulo chegou, passou o que quer em campo, tive oportunidade e procurei ajudar de uma maneira legal. Luto por isso e estou feliz pelo momento, pela equipe estar subindo de produção", completou.

Alvo de críticas até por parte de dirigentes nos bastidores do clube tricolor, Dagoberto desabafou enquanto estava encostado, em agosto. Disse que pessoas estavam prejudicando sua continuidade no São Paulo.

"Começamos o ano muito bem, focamos um objetivo, não conseguimos e aconteceram algumas coisas. Fiquei sempre de boa, com a cabeça aqui no São Paulo, tranquilo. Sabia que as coisas iriam andar, apesar de o momento não ser favorável e das turbulências", analisou. O desejo da diretoria era negociá-lo para o futebol europeu, porém ele preferiu permanecer.

"Você tem que fazer uma auto-análise, ver o que está errado, para não polemizar, para não largar tudo. A equipe nao somava pontos e eu não estava jogando. Era complicado. Era isso que me questionava. Felizmente hoje estou voltando a atuar depois de tanto tempo e feliz por tudo o que está acontecendo", destacou o atleta de 27 anos.

Após cumprir suspensão na rodada passada, quando o time tricolor ganhou do Grêmio Prudente, Dagoberto retorna para formar dupla com Ricardo Oliveira no ataque. Domingo, às 18h30, acontece o clássico contra o Santos, no Morumbi, pela 30ª jornada do Brasileirão.

Fonte: Uol Esportes

Dagoberto, o "10" de Carpegiani, comemora boa fase

"O Dagoberto é um jogador excelente e excepcional"
 
A frase acima foi dita pelo técnico Paulo César Carpegiani, logo nos seus primeiros dias no clube. Dentro de campo, Dagoberto não decepcionou. Diante do Vitória, ele fez um dos gols no triunfo por 2 a 0 e foi um dos principais jogadores do Tricolor Paulista na Arena Barueri.
Empolgado com o atacante, Carpegiani foi além nos elogios e disse que Dagoberto pode exercer a função de um camisa 10. No entanto, o terceiro cartão amarelo recebido contra o time baiano deixou o camisa 25 fora da partida contra o Prudente. De volta, ele espera manter esta boa fase sob o comando de Carpegiani.
"O Carpegiani chegou e passou o que ele queria. Tive minha oportunidade na equipe e consegui ajudar. Espero que seja uma crescente agora. Apesar das turbulências, sempre trabalhei para fazer o meu melhor no São Paulo", disse Dagoberto.
Os elogios têm um motivo. Quando ainda estava nas categorias de base do Atlético-PR, Dagoberto quase subiu para o profissional, então comandado por Carpegiani. Naquela época, o são-paulino atuava no meio de campo, como um típico camisa 10.
"O Paulo (Carpegiani) me viu jogar lá. Tinha esta característica muito forte no Atléico. Hoje estou mais adaptado como atacante, mas não vejo problema em atuar desta maneira. Temos de compactar e voltar um pouco na marcação. Fico feliz, pois isso mostra a confiança que ele tem em mim", completou o jogador.
A volta de Dagoberto será fundamental para o Tricolor Paulista continuar vencendo no Brasileirão e encostar ainda mais perto da zona de classificação para a Libertadores. Com 41 pontos, o São Paulo é o atual décimo colocado. Mesmo assim, os adversários já começam ver esta aproximação.
"O São Paulo é uma equipe respeitada e isso foi conquistado. Todo mundo está de olho na gente. Somos realistas. Ainda estamos longe, mas vamos buscar ponto a ponto. A nossa equipe está em um bom momento", concluiu Dagoberto.

Após 'tempestade', Dagoberto sorri com a chegada de Carpegiani

Dagoberto hoje sorri. Afinal, está em alta com Paulo César Carpegiani, será titular do São Paulo neste domingo, às 18h30m, contra o Santos, no Morumbi, e voltou a jogar bem. A chegada do novo treinador fez bem ao atacante, que passou por um momento turbulento com o interino Sérgio Baresi.

Logo após a eliminação do time na Libertadores, Ricardo Gomes deixou o comando e o camisa 25 passou a ser reserva no time de Baresi. Contra o Cruzeiro, pelo Brasileiro, não gostou de não entrar na partida e acabou se irritando no banco. Chegou ainda a ficar fora da lista de relacionados por dois jogos. Mostrou insatisfação publicamente e recebeu críticas dos dirigentes. Agora evita falar sobre o ex-comandante, mas ainda mostra tristeza ao falar sobre o assunto.

- É difícil comentar sobre o técnico anterior. Ele era gente boa, tinha a filosofia de trabalho dele e respeito, mas muitas vezes a gente não concorda. O Paulo chegou, passou o que estava querendo, tive minha chance e pude ajudar. Espero continuar essa crescente sendo titular ou não. Luto por isso, mas quando não fui titular segui trabalhando, independentemente do que aconteceu com o técnico anterior - justificou o atacante.

Dagoberto admite que o mais difícil foi se ver afastado do time justamente quando a situação em campo era ruim. O São Paulo oscilava nos jogos, não tinha boas apresentações, e o camisa 25 não era acionado para tentar ajudar. Foi um momento de reflexão e controle, explicou o atleta.

- Muitas vezes me questionava por causa disso. O time não estava bem, perdendo alguns jogos e eu não era utilizado. Aí você faz uma auto-análise, vê o que está errado, pois polemizar é pior. Não estávamos conseguindo subir, e eu não jogava, era complicado. Felizmente hoje estou voltando a atuar depois de tanto tempo e feliz por tudo que está acontecendo. Ser titular é uma questão de trabalho. O Paulo olhou muito isso e em campo eu tenho que fazer o melhor - acrescentou.

Dagoberto só não enfrentou o Grêmio Prudente na última rodada porque cumpriu suspensão. Agora, de volta, está confirmado no ataque ao lado de Ricardo Oliveira.

Fonte: Globo Esporte

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ricardo Oliveira elogia Dagoberto

Depois de treinar como titular nesta quarta-feira, o atacante Dagoberto recebeu elogios de Ricardo Oliveira, seu provável companheiro para o clássico com o Santos, no domingo - o São Paulo deve jogar no 4-3-3, com Fernandinho completando o sistema ofensivo.

Na opinião de Ricardo Oliveira, Dagoberto é um jogador inteligente e tem muito a contribuir para a equipe. "Estou sempre feliz e disposto a ajudar o time. O Dagoberto já se mostrou um jogador inteligente, com uma dinâmica interessante na partida. Jogar com ele é sempre um prazer", avaliou o atacante.

Retornando de suspensão, Dagoberto revelou estar ansioso para jogar. Também elogiou o seu companheiro de ataque, autor dos três gols na vitória do São Paulo sobre o Prudente, por 3 a 2, no último sábado.

"É bom para o momento da equipe ter todos os atacantes à disposição. Vamos trabalhar para estar dentro. Fico feliz pelos três gols do Ricardo, pois todo atacante busca isso. É um cara que merece e é muito amigo meu", contou Dagoberto.

Fonte: Estadão

Em alta com Carpegiani, dupla troca elogios antes do clássico

Depois de duas partidas no comando do São Paulo, o técnico Paulo César Carpegiani terá a chance de montar uma dupla de ataque que estava nos seus planos desde sua apresentação no clube. Livres de lesões ou suspensões, os atacantes Ricardo Oliveira e Dagoberto estão à disposição para o clássico contra o Santos, domingo, no Morumbi.
 
O camisa 25 volta após cumprir suspensão automática na vitória sobre o Prudente, no último fim de semana, no estádio Eduardo José Farah. Triunfo que passou pelos pés de Ricardo Oliveira. O atacante são-paulino deu show e marcou os três gols da equipe e repetiu o feito do próprio companheiro no primeiro turno do Brasileiro.
Diante do Grêmio, no Morumbi, Dagoberto fez todos os gols da vitória são-paulina por 3 a 1. No Campeonato Brasileiro, os dois estão próximos na tabela de artilharia. Ricardo Oliveira tem seis gols, enquanto o parceiro tem cinco. Dupla que, junta, promete dar muitas alegrias aos torcedores do Tricolor Paulista.
"É bom para o momento da equipe ter todos os atacantes à disposição. Vamos trabalhar para estar dentro. Fico feliz pelos três gols do Ricardo, pois todo atacante busca isso. É um cara que merece e é muito amigo meu. Nosso time está subindo cada vez mais na tabela", disse Dagoberto.
Neste Nacional, Ricardo Oliveira e Dagoberto não começaram nenhuma partida juntos como titulares. Na temporada, a única vez que isso aconteceu foi contra o Internacional, na segunda partida da semifinal da Libertadores. Na oportunidade, o São Paulo venceu o time gaúcho por 2 a 1. O camisa 99 marcou o segundo gol tricolor no duelo.
"Existe muita vontade de jogar. A formação que ele (Carpegiani) escolher vai dar resultado. Estou sempre feliz e disposto a ajudar o time. O Dagoberto já se mostrou um jogador inteligente, com uma dinâmica interessante na partida. Jogar com ele é sempre um prazer", completou Ricardo.
Além deles, Carpegiani tem mais cinco jogadores para montar seu sistema ofensivo no clássico. São eles: Marlos, Lucas, Fernandinho, Fernandão e Lucas Gaúcho. Até domingo, o treinador terá uma semana livre para treinar. Tempo que certamente ele saberá escolher a melhor opção para o São Paulo continuar vencendo no Brasileirão.


Carpegiani escala Dagoberto e Ricardo Oliveira juntos

O técnico Paulo César Carpegiani comandou um treino tático nesta quarta-feir de manhã, no CT da Barra Funda. Como já era esperado, o treinador são-paulino escalou Dagoberto e Ricardo Oliveira no ataque da equipe. Com isso, Marlos, que fez dupla com o camisa 99 no último jogo, treinou entre os reservas.  
Do time que enfrentou o Prudente no último sábado, Carpegiani ainda fez mais duas alterações. O zagueiro Miranda e o volante Casemiro, ambos com amigdalite, não treinaram. Renato Silva formou a dupla de zaga com Alex Silva. Já no lugar do garoto, Richarlyson voltou para o meio e Diogo ganhou nova chance na lateral esquerda. Apesar dos dois desfalques desta quarta, eles não deverão ser problemas para o clássico e poderão retornar aos treinamentos nos próximos dias.
"Espero que amanhã (quinta-feira) eles já estejam melhores para treinar", resumiu o medido José Sanchez.
Na primeira parte da atividade, o treinador deu uma atenção especial para o seu sistema ofensivo, treinando jogadas pelas laterais. Na sequência, foi a vez de posicionar sua defesa.  O Tricolor escalado nesta quarta-feira foi: Rogério, Jean, Renato Silva, Alex Silva e Diogo; Rodrigo Souto, Richarlyson, Lucas e Fernandinho; Dagoberto e Ricardo Oliveira.

Dagoberto volta aos titulares e desbanca Marlos no treino

O atacante Dagoberto retomou sua posição de titular no primeiro treino tático promovido por Paulo César Carpegiani nesta semana. Depois de ter cumprido suspensão automática na rodada passada, o camisa 25 foi novamente colocado em seu lugar no time, desbancando Marlos para a reserva.

Na manhã desta quarta-feira, Carpegiani realizou uma atividade para esboçar a escalação para o clássico de domingo, contra o Santos. Com o retorno de Dagoberto, a dupla de frente foi formada com Ricardo Oliveira.

Já a armação das jogadas ficou sob o comando dos rápidos Fernandinho e Lucas. Sem Miranda e Casemiro, poupados por conta de amigdalite, Carpegiani foi obrigado a fazer outras mudanças, mas deve contar com a dupla na partida.

Renato Silva assumiu a vaga do zagueiro titular no treino. Já para suprir a ausência de Casemiro, Carpegiani deslocou Richarlyson para o meio-campo e colocou Diogo na lateral esquerda.

Com isso, o São Paulo treinou com Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Renato Silva e Diogo; Rodrigo Souto, Richarlyson, Lucas e Fernandinho; Dagoberto e Ricardo Oliveira.

Fonte: Gazeta Esportiva

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Você sabia?

Você sabia que o primeiro gol de Dagoberto pelo São Paulo FC foi contra o Santos?
O jogo foi em 2007 e o Tricolor ganhou do Santos por 2x0 com gols de Aloísio e Dagol.
Veja o vídeo com os melhores momentos do jogo e assista ao primeiro gol de Dagoberto pelo São Paulo:

video

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Para escolher: Carpegiani tem todos os homens de frente à disposição

Depois de ver Ricardo Oliveira marcar três gols na vitória sobre o Grêmio Prudente, no último sábado, o técnico Paulo César Carpegiani terá opções variadas para compor o ataque do São Paulo para o clássico deste domingo, contra o Santos, às 18h30min, no Morumbi. A última vez que o Tricolor teve todos os atacantes à disposição foi na 16ª rodada.

Além de Oliveira, que está em alta, Dagoberto volta após cumprir suspensão automática. Ele é o artilheiro do time na temporada, com 13 gols, e deve começar como titular. Fernandão está recuperando ritmo de jogo e pode ser aproveitado se mostrar evolução nos treinos durante a semana. E os velozes Fernandinho, Marlos e Lucas são as alternativas para que o treinador torne a equipe mais veloz. O garoto Lucas Gaúcho completa a lista de homens de frente do Tricolor e deve ficar na reserva.

- Estamos querendo vencer os jogos, mas tem de prevalecer o bom senso. Independente de quem vai jogar, vamos montar uma equipe competitiva. Vou usá-los da melhor maneira possível. Mais ou menos como foi no segundo tempo do jogo contra o Prudente - explicou Carpegiani ao site oficial do clube.

No triunfo sobre o Vitória, Fernandinho, Dagoberto e Lucas foram titulares, e os dois primeiros marcaram os gols da partida (2 a 0). Contra o Prudente, Carpegiani escalou um quarteto com Fernandinho, Marlos, Lucas e Ricardo Oliveira.

Fonte: Globo Esporte

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Elogiado por Carpegiani, Dagoberto leva aprendizado da turbulência

O atacante Dagoberto parece não ter mais motivos para reclamar de sua situação no São Paulo. Depois de atravessar um período difícil sob o comando de Sérgio Baresi, alternando jogos como titular e outros fora até do banco de reservas, o jogador explica que leva como aprendizado a turbulência que passou, quando chegou a fazer reclamações públicas.

"Claro que eu dava minhas explicações, não adiantava ficar quieto, porque alguma coisa estava errada. Quando não está sendo útil, você desanima um pouco, mas sempre trabalhei de cabeça erguida e feliz. No futebol, as coisas não andam sempre como você quer. Agora, bola para frente e o grupo está entendendo bem o que ele (Carpegiani) quer", comentou.

Assim que chegou ao São Paulo, o técnico Paulo César Carpegiani manifestou sua confiança em Dagoberto, que foi titular no triunfo por 2 a 0 sobre o Vitória e seria mantido para a rodada seguinte, mas recebeu o terceiro cartão amarelo.

O jogador não esconde o alívio por voltar a ser utilizado no clube, depois de ter até sua saída especulada em função de uma proposta do futebol ucraniano.

"Se eu me revoltasse, o único prejudicado seria eu. Mas, graças a Deus, passei por tudo isso e tenho certeza de que serve de aprendizado e nos ensina para a vida. Se a equipe estivesse em um momento bom e eu ficasse no banco, tudo bem. Mas, com o time perdendo e eu nem entrando, ficava difícil, mas precisei de paciência", completou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Carpegiani vê Dagoberto como diferencial: "ele tem que ser valorizado"

Após um período em baixa, quando amargou o banco de reservas e recebeu críticas até de dirigentes do São Paulo, Dagoberto voltou a ganhar destaque. O técnico Paulo César Carpegiani aponta o atacante como um atleta diferenciado e espera resgatá-lo.

“Ele tem muita qualidade, em um lance só decide uma partida. Com essa qualidade, tem que ser valorizado no elenco”, observou o treinador, após a vitória por 2 a 0 sobre o Vitória, na Arena Barueri.

O camisa 25 atuou durante os 90 minutos na noite da última quarta-feira, buscou o jogo e anotou o primeiro gol, após passe de Jean. Recebeu a bola 29 vezes e foi desarmado em dez oportunidades, segundo o Datafolha.

“Gosto desse tipo de jogador. Vou trazê-lo sempre para mim e motivá-lo da melhor maneira. Cada jogador tem um eu, algo para ser trabalhado. O Dagoberto é um cara fechado, que passou por um incômodo em algumas situações, mas não quero entrar nas razões. É um jogador que desequilibra e precisa de um carinho e uma condução muito especiais”, apontou Carpegiani.

Após a eliminação na Copa Libertadores, no início de agosto, o atacante de 27 anos ficou encostado. Em duas partidas sequer foi convocado para ficar no banco. Em outras, figurou entre os reservas e não entrou em campo, fato que o irritou.

“Se eu não me revoltasse, talvez o único prejudicado na história seria eu. Quem sabe era isso que as pessoas esperavam”, afirmou Dagoberto, sobre as polêmicas declarações que deu quando não era utilizado por Sérgio Baresi.

“Quando eu estava revoltado dava minhas explicações. Não adianta ficar quieto, acatar tudo, alguma coisa estava errada. São coisas que a gente aprende. Bola pra frente agora. Ele [Carpegiani] é um pessoa bacana. Tomara que a gente tenha sucesso”, finalizou.

Apesar do bom início com Carpegiani, o atacante levou o terceiro cartão amarelo contra o Vitória e não encara o Grêmio Prudente no fim de semana.

Fonte: Uol Esportes

Peça-chave de Carpegiani, Dagoberto se destaca, mas leva o 3º amarelo

Em um de seus primeiros discursos à frente do São Paulo, Paulo César Carpegiani elogiou bastante Dagoberto, que vinha sendo esquecido pelos outros técnicos. A confiança dada pelo novo comandante deu certo. O atacante fez um gol e se tornou um dos destaques do triunfo diante do Vitória por 2 a 0, em Barueri.

No entanto, o atacante verá sua sequência quebrada, uma vez que recebeu terceiro cartão amarelo e é desfalque certo no duelo diante do lanterna Grêmio Prudente, no próximo sábado, fora de casa.

Na estreia de Carpegiani, porém, Dagoberto deu sinais de que pode ser importante. Segundo estatísticas do Datafolha, finalizou três vezes e se tornou, ao lado de Fernandinho, o principal atleta do time do Morumbi nesse fundamento.

Até então, sua média de finalizações no Campeonato Brasileiro era de apenas 1,7 por partida. Não bastasse isso, o atacante ajudou na marcação. Foram cinco desarmes diante dos baianos.

“Quando não está sendo útil você desanima. Mas trabalhei de cabeça erguida. [O técnico Paulo César Carpegiani] É uma pessoa bacana que está chegando e espero ter sucesso”, disse o atacante.

Seus companheiros também se mostraram satisfeitos com o bom desempenho do camisa 25. “Ele foi bem. Eu espero que encontre o caminho com a chegada de um novo treinador. Isso será bom para ele e paro grupo”, disse o goleiro Rogério Ceni.

Fonte: Uol Esportes

Gol na Arena dá a Dagoberto o posto de artilheiro máximo

O atacante Dagoberto vive nova fase no São Paulo. Com a chegada de Paulo César Carpegiani, o camisa 25 foi um dos mais elogiados. E o jogador fez por merecer. Além da ótima atuação, o são-paulino marcou um gol no triunfo sobre o Vitória por 2 a 0, na última quarta-feira à noite, na Arena Barueri. Fernandinho marcou o outro.
Com o feito, Dagoberto chegou ao seu 13˚ gol na temporada e assumiu o posto de principal artilheiro do Tricolor Paulista na atual temporada. Washington tem o mesmo número de gols, mas já deixou o clube. Até o fim do ano (são dez jogos), Dagoberto certamente aumentará mais esta marca.
"Se eu me revoltasse, o único prejudicado da história seria eu. Graças a Deus passei por tudo isso e certamente servirá de aprendizado. A gente conseguiu o que mais queria, que era a vitória. O time entendeu o que o Paulo passou e fizemos um boa partida", disse Dagoberto, relembrando os momentos em que ficou no banco de reservas.
O aproveitamento do camisa 25 em 2010 já é, disparado, o melhor dele com a camisa do São Paulo. Até então, o melhor ano havia sido 2009, quando ele marcou dez gols. Nos dois primeiros anos,  o atacante marcou sete em cada temporada. No geral, Dagoberto tem 37 gols em 179 jogos pelo clube paulista.
Série interrompida
Antes mesmo da partida contra o Vitória, Carpegiani já tinha avisado que Dagoberto teria uma sequência na equipe e seria titular no sábado contra o Prudente, no sábado. No entanto, um cartão amarelo acabou tirando o jogador desta partida. Na Arena Barueri, ele foi advertido pelo árbitro Claudio Mercante. Cartão que causou muita revolta de todos. Dagoberto terá de cumprir suspensão automática e só retorno no clássico contra o Santos, dia 17 de outubro.

Dupla comprova sucesso na Arena

Na partida contra o Vitória, nesta quarta-feira à noite, Dagoberto e Fernandinho comprovam o esperado. Na Arena Barueri, a dupla voltou a balançar a rede adversária. Na vitória por 2 a 0 sobre o time baiano, cada um deixou sua marca, ambos no primeiro tempo de jogo.
"A vontade foi muito determinante para esta vitória do São Paulo. Quero aproveitar ao máximo esta chance que estão me dando. Dar sempre o meu melhor, pois tenho um carinho muito especial por este clube", explicou Fernandinho, que marcou seu sexto gol em 2010.
Na temporada, o Tricolor Paulista disputou cinco jogos na Arena Barueri - quatro vitórias e uma derrota. Neste período, a equipe marcou 14 gols, sendo quatro de Dagoberto e cinco de Fernandinho. O camisa 12, inclusive, marcou quatro de uma vez só na goleada sobre o Monte Azul por 5 a 1, pelo Campeonato Paulista.
Com o gol desta quarta, Dagoberto assumiu a ponta da lista de artilheiros do São Paulo em 2010. Com 13 gols, ele se igualou a Washington, que já deixou o clube. Feliz com este momento e com a confiança depositada por Carpegiani, o são-paulino espera manter este bom futebol.
"Estou muito feliz por ter feito este gol. Nossa equipe tem de jogar e esquecer a arbitragem ou qualquer outra coisa", ressaltou Dagoberto. Apesar disso, o atacante recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrentará o Prudente, no próximo sábado, fora de casa.